fbpx

Julie Duarte

Seu blog de maquiagem, beleza e muito mais!

É permitido sonhar?

Talvez esse texto fique confuso. Talvez faça sentido apenas para mim. Talvez seja só um meio de colocar pra fora alguns pensamentos em excesso na cabeça. Eles merecem sair – e esse é meu jeito de impulsionar essa fuga.

Não existe um dia sequer que eu não pense sobre sonhos. Sei dizer quando começou? Que nada! Mas alguns momentos foram cruciais para essa repetição monótona:

– Um projeto no trabalho voltado a adolescentes

– Divertidamente 2

– Crises e mais crises sobre “sucesso”

Um contexto importante: eu fiz 30 anos há poucos dias. A ideia de entrar na terceira década de vida nunca foi tão pesada para mim. Até ano passado. Quanto mais próxima, mais questões surgiam. Mais comparações. Mais “e se”.

Até que cheguei na pergunta: qual é o momento que a gente para de sonhar? Não aquelas cenas misturadas que aparecem na mente ao dormir – isso aqui continua. Mas a vontade de conquistar algo, seja lá o que for.

Minhas crises sobre o tal sucesso me levaram a descobrir que eu abandonei tudo que idealizei. A vida virou a faculdade, o estágio. Aí veio o trabalho, a casa, as responsabilidades, os freelas para completar a renda… O que eu queria construir, apesar de ser a minha prioridade, nunca foi de verdade. Afinal, como algo pode ser mais importante do que sobreviver?

Será que eu sou fraca ou a vida é dura demais para permitir sonhar? Será que a necessidade de me manter congelou minhas emoções? Será que joguei minha vontade para o fundo do poço para não criar mais uma ferida?

Foi durante o tal projeto para jovens que eu encontrei a resposta. Ou inventei uma, que seja. A habilidade de sonhar só funciona quando existe espaço para ela. E quanto mais crescemos, menor é esse espaço. Porque é preciso dividir o ambiente com outras coisas mais concretas. Mais reais.

Como sonhar com o futuro se eu preciso viver agora? Como planejar o amanhã se mal consigo dar conta das atividades de hoje? Como correr atrás dos meus sonhos se, após um dia exaustivo, eu só consigo me jogar na cama?

De verdade? Não sei a resposta para nada. Talvez a habilidade de sonhar e realizar seja exclusiva para um grupo muito seleto de pessoas. Talvez eu não seja persistente o suficiente para alcançar. Talvez seja karma. Talvez eu sonhe errado. Talvez, talvez, talvez.

Ou quem sabe o roteirista de Divertidamente 2 tenha respondido tudo com apenas uma frase. Talvez seja isso que acontece quando você cresce… Você sente menos alegria.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copie a make: Olivia Rodrigo! Makes com foco na boca!